EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

O VOLUNTARIADO VOCACIONAL SALESIANO: UMA EXPERIÊNCIA FORTE DE PROMOÇÃO DA PASTORAL VOCACIONAL

Por Pe Antônio de Assis Ribeiro* – Pe Bira (sdb)

O Voluntariado Vocacional Salesiano consiste em oferecer aos jovens que manisfestam desejo e aptidão para a vida religiosa salesiana a oportunidade de trabalharem junto a outros jovens e de residirem numa comunidade salesiana, atuando na ação educativa da obra, a fim de fazerem um profundo discernimento vocacional.

Em 2017 o Centro Salesiano de Formação (CESAF) receberá alguns voluntários, entre eles estão Jordan Samuel, 20 anos, natural da cidade de Quatipuru no Pará, e Justino Castro, 20 anos, natural de Pari-Cachoeira (distrito de São Gabriel da Cachoeira) no Amazonas. Ambos fizeram a experiência de voluntariado vocacional, durante seis meses em Ji-Paraná (RO), na comunidade Salesiana local e agora chegam a Manaus para darem prosseguimento a orientação vocacional.

Átravés da entrevista ping-pong, abaixo, os voluntários contaram um pouco sobre essa experiência:

1.O que vocês gostariam de ressaltar da experiência do voluntariado?

 Jordan: para mim eu acho que foi o processo de formação… Essa experiência de voluntariado me ajudou muito saber bem-viver.
– Justino: é verdade! Para mim foi uma experiência muito exigente e por isso muito formativa.

2. O que vocês gostariam de evidenciar desse crescimento de vocês?

– Jordan: eu sublinho a vida de oração pessoal e comunitária. Também foi muito significativa pra mim a experiência de adaptação em outro contexto cultural. Achei muito interessante viver em outro ambiente, conhecer novas pessoas, ouvir outro sotaque, comer comida diferente; o jeito de ser e a sensibilidade das pessoas mudam… Foi muito legal!
– Justino: eu venho de um ambiente indígena… E como indígena tenho um modo de ser meio silencioso e tímido. Neste lugar diferente da minha cultura eu cresci muito, sobretudo na capacidade de comunicação com as pessoas. Também eu gostei muito da prática da oração comunitária com os Salesianos… Cresci na capacidade de perceber as necessidades e no espírito iniciativa.

3. A experiência de voluntariado lhes ajudou no processo de discernimento Vocacional?

– Jordan: ah… Sim! O discernimento vocacional não é uma teoria… É um compromisso pessoal que fica mais sério com a prática do voluntariado, pois experimentamos um pouco da vida e da missa Salesiana: como atuam os Salesianos, o trabalho da evangelização da juventude, a vida comunitária, as dificuldades.
– Justino: o voluntariado me ajudou muito no meu discernimento Vocacional Salesiano porque me proporcionou um encontro direto com o trabalho salesiano…  Isso me fez crescer e me levou a me preocupar mais com a minha formação. Outra coisa é que a vida na comunidade Salesiana me fez conhecer mais concretamente a vida dos religiosos Salesianos.

4. Durante esse tempo de seis meses o que vocês fizeram concretamente?

– Fizemos muitas experiências tanto na comunidade Salesiana, como também na paróquia e no Centro Educativo Dom Bosco… Trabalhamos na comunidade, ajudamos em colônia de férias, fizemos assistência aos alunos do Centro Educativo Dom Bosco, a acolhida aos alunos, visita às comunidades do interior às vezes aos domingos, participamos de encontros vocacionais em Porto Velho; tivemos momentos de oração, retiro com os alunos, passeios… Muitas coisas. Bem, ficamos disponíveis para fazer o que aparecia de necessidade pra fazer. Tinha uma proposta programada.

5.Certamente também vocês enfrentaram dificuldades, quais, por exemplo?

– Justino: como já falei, eu particularmente, senti muita dificuldade de me comunicar com as pessoas por causa da minha timidez. Mas as pessoas me acolheram e me respeitaram… Elas sempre me faziam muitas perguntas!  Padre, as pessoas daqui tem ideias erradas sobre os índios!!!(rindo)… Às vezes, eu me calava… era bom nem responder!
– Jordan:  a maior dificuldade que eu senti foi a falta de confiança em mim mesmo. Eu tinha medo que alguma coisa não desse certo… Na verdade, era porque eu não tinha confiança em mim mesmo. Eu ficava muito me questionando: será que eu consigo? Será que vai dar certo? Como será? Mas, aos poucos, isso foi diminuindo em mim, fiquei à vontade e foi muito bom. Gostei!

4.Que mensagem vocês querem deixar para outros jovens que pensam no voluntariado?

– Justino: para eles eu digo que essa experiência não é tão difícil quanto possa parecer, basta querer e seguir adiante, sem medo porque vale a pena, a gente cresce muito mesmo.
– Jordan:  que eles cultivem boas ideias e bons ideais. Que não tenham medo de fazer essa experiência, que não tenham medo daquilo que é desconhecido. Essa experiência nos ajuda muito faz gente perceber com mais clareza o que Deus quer de nós (a nossa vocação). Muitos jovens têm ideias erradas sobre o voluntariado.  Vale a pena!

* Pe Antonio de Assis Ribeiro é vice-inspetor da Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia (ISMA).

 

Voluntário Jordan Farias
 Voluntário Jordan Farias
Voluntário Justino Castro
Voluntário Justino Castro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POR UMA PARÓQUIA SINODAL

Na quarta-feira (25/01), as lideranças comunitárias e pastorais da paróquia Nossa Senhora das Graças em Ananindeua/PA, se reuniram no salão São José, da Igreja Matriz, para o primeiro encontro da

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀