Nossa História

Nossa História

A presença salesiana na Amazônia remonta a 1908, quando em viagem pelo Rio Negro, o Bispo de Manaus Dom Frederico Costa, constatando a tradição católica da região e a triste realidade de abandono espiritual deixada pelos missionários capuchinhos desde a sua partida em 1888, solicitou a Santa Sé as providências necessárias do Papa Pio X para restabelecer e reerguer a antiga missão naquele distante local. A Ordem Salesiana, na pessoa de P. Paulo Albera, segundo sucessor de Dom Bosco, foi instigada para aceitar a tarefa extremamente difícil de retomada da evangelização da região. Sua Santidade disse ao Reitor-Mor dos Salesianos que era preciso aceitar a Missão do Rio Negro, para atrair as bênçãos de Deus sobre a Congregação! E como para os salesianos é uma questão de honra estar em qualquer lugar, tempo ou circunstância e em todas as disposições do Sumo Pontífice o desafio foi aceito. Assim em 18 de junho de 1914 o Papa Pio X com o Decreto da Sagrada Congregação da Propagação da Fé, confia à Sociedade Salesiana a administração e o governo pastoral da Prefeitura Apostólica do Rio Negro, criada em 19 de outubro de 1910.

E para tal empreitada a Santa Sé envia ao P. João Bálzola, missionário salesiano e desbravador do Mato Grosso, em 25 de agosto de 1914, as cartas credenciais, para em nome da Sociedade Salesiana, tomar posse da árdua e difícil missão. Os primeiros salesianos missionários chegaram em 21 de maio de 1915, tendo como sede da missão São Gabriel da Cachoeira, onde em comemoração ao centenário da instituição da festa, foi realizada a primeira missa em honra a Nossa Senhora Auxiliadora e para a qual foi consagrada a nova Prefeitura Apostólica. Estava em companhia do Pe. Bálzola, o Pe. José Solari e o Coadjutor José Canuto. Nessa primeira etapa de atividade missionária na região amazônica foram fundadas três residências salesianas, que deveriam servir de apoio para os religiosos: duas no Alto Rio Negro (São Gabriel e Taracuá), uma no Baixo Rio Negro, em Barcelos e mais tarde em Iauareté. A presença dos grupos indígenas dava características próprias à vida salesiana na região: era presença missionária no sentido típico da palavra, conforme a época. Como presença salesiana, porém, sempre houve a preocupação principal de atender dignamente jovens e meninos, com isso surgindo escolas técnicas, agrícolas, internatos, igrejas, itinerâncias e hospitais.

INSPETORIA – ISMA

Em dezembro de 1958, após o Capítulo Geral 18 e a canonização de São Domingos Sávio, foram criadas as inspetorias de São Pio X, em Porto Alegre e S. Domingos Sávio, em Manaus, com sede no Colégio Industrial Domingos Sávio. Em 1981 a Sede Inspetorial passou a funcionar em uma casa no Boulevard Álvaro Maia, e o Colégio São Domingos Sávio passou a ser casa de acolhida para os missionários de passagem por Manaus, como também centro de apoio para as missões.  Mas, a partir de 1996, a Sede Inspetorial volta a se instalar no prédio do Colégio, visto que as atividades salesianas exigiam um maior espaço que proporcionasse conforto e maior acessibilidade. Atualmente, além de residência dos Salesianos e casa de hospedagem, a sede inspetorial funciona como centro administrativo e apoio logístico para as missões.

INSPETORES

1º INSPETOR

P. Miguel D’Aversa

Em 6 de novembro de 1958 toma posse P. Miguel D’Aversa sendo o primeiro Inspetor da Inspetoria São Domingos Sávio e permanecendo neste cargo até 1962, quando é nomeado bispo prelado de Humaitá. 

ATUAL INSPETOR

P. Jefferson Luis da Silva Santos.

Em 11 de fevereiro de 2018, toma posse o atual Inspetor: P. Jefferson Luis da Silva Santos.

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀