A CONGREGAÇÃO

A Congregação

A missão que Dom Bosco queria realizar de maneira duradoura em favor da juventude pobre, precisava de pessoas decididas a trabalhar com ele. Exigia também instituições que pudessem garantir a continuidade do empreendimento. Já vinha falando, disfarçadamente, com alguns de seus discípulos, por isso que em 9 de Dezembro de 1859, Dom Bosco após o jantar chamou alguns, a qual compareceram 19 dos seus auxiliares, e lhes falou de sua intenção em fundar uma sociedade. Em 1859 nascia a Pia Sociedade de São Francisco de Sales, ou “salesianos”. Esse grupo deu origem congregação salesiana que se compõe de padres e irmãos com a finalidade de promover a glória de Deus e a salvação das almas que permeia atividades educativas nas escolas, paróquias, obras sociais, oratórios, casas de acolhida de meninos e meninas de rua entre outros.

Nós, Salesianos de Dom Bosco (SDB), de específica vida religiosa que segue o projeto apostólico do fundador: ser na Igreja sinais e portadores do amor de Deus aos jovens, especialmente aos mais pobres. Nossa sociedade é composta de clérigos e leigos que vivem a mesma vocação em fraterna complementaridade. Somos reconhecidos na Igreja como Instituto religioso clerical, de direito pontifício, dedicado às obras de apostolado.
Os salesianos atualmente estão em 133 países. No Brasil há mais de 700 salesianos em cerca de 111 obras, organizados em seis coordenações regionais (ou inspetorias). Na Inspetoria São Domingos Sávio, responsável pela região norte do Brasil, são 86 salesianos atuando em 17 presenças distribuídas em colégios, obras sociais, paróquias e missões entre os povos indígenas.

Título oficial: Sociedade de São Francisco de Sales
Título alternativo: Salesianos de Dom Bosco
Data de fundação: 18 de dezembro de 1859
Fundador: San Giovanni Bosco
Salesianos: 14.486 (14.056 sem noviços e bispos)
Nações: 133
Regiões: 7
Províncias: 90
Grupos da Família  Salesiana: 33

Para mais informações acesse  o site: sdb.org.br

Nosso Patrono

“São Francisco de Salles”

Dom Bosco é considerado o precursor dos métodos mais avançados em pedagogia do seu tempo, substituindo os métodos pedagógicos tradicionais daquela época, isto é, reprimenda e a austeridade, pelo método da persuasão, da religiosidade autêntica, do amor sempre pronto a prevenir, em vez de reprimir. Tomou como modelo São Francisco de Sales, nesta sua atividade que visava a construção moral e religiosa do jovem.

Este santo nasceu no Castelo de Sales em Thorens em 21 de agosto de 1567. Sua mãe, uma mulher da alta nobreza buscava educá-lo na religiosidade, procurou os padres da Companhia de Jesus, onde viu ser este o lugar melhor para seu filho mesmo contra a vontade de seu esposo; ainda jovem fez voto de viver a castidade e buscar sempre cumprir o que era da vontade do Senhor; dentre as disciplinas que lhe eram ensinadas aprendeu várias línguas, estudou Direito em Pádua, onde se ordenou padre. Ao longo da história desse santo muito amado, percebe-se o quanto ele buscou e o quanto encontrou o que Deus queria: “Procure ver Deus em todas as coisas sem exceção, e disponha-se a fazer a vontade d’Ele com alegria. Faça tudo para Deus, unindo-se com Ele por palavras e obras” não aceitou uma carreira esplêndida no mundo, mas preferiu o sacerdócio.
Sua primeira missão apostólica foi em Chablais, sua região nativa, a tarefa era dirigir o espírito daqueles que viviam e procuravam estar fora da religião. Em 1602 tornou-se bispo de Genebra, primeiramente, como coadjutor, depois, sendo o titular, arregaçou as mangas para a incansável reforma e reorganização dessa diocese, como o apóstolo do amor e da misericórdia. Em 1604 junto com Joana de Chantal fundaria a Ordem da Visitação.
Famoso como diretor espiritual e escritor; escreveu a “Introdução à Vida Devota”, essa se tornou a sua obra mais famosa, e também “Tratado do Amor de Deus”, fruto de anos de oração e trabalho. Em 1867 foi proclamado por Pio XI Doutor da Igreja é patrono dos escritores e dos jornalistas devido ao estilo e ao conteúdo de seus escritos, é ainda Padroeiro dos de Difícil Audição, por causa da linguagem de símbolos criada por ele.
Fez “do ordinário de sua vida o extraordinário” nos dizia Dom Bosco; este santo é modelo para muitos outros devido aos seus ideais de moderação e caridade, de gentileza e humildade, de alegria e entrega à vontade de Deus são expressos com uma sensatez que anima os fracos e alimenta os fortes “não se preocupe com o que pode acontecer amanhã; o mesmo Pai eterno que cuida de você hoje se encarrega de você amanhã e todos os dias. Ou Ele protegerá você do sofrimento, ou lhe dará a força infalível para suportá-lo.
Dom Bosco mostra-nos São Francisco de Sales, a fim de tornar-nos santos hoje através de uma “espiritualidade do coração”, um coração divino e humano, modelo de verdadeiro amor fecundo que alcançou a vida de inúmeras pessoas, congregações religiosas e Papas. A Espiritualidade Salesiana nos convida à amabilidade “seja paciente com todo mundo, sobretudo consigo mesmo” nos dizia Francisco. Esse grande santo da Igreja morreu em 28 de dezembro de 1622, aos 55 anos de idade, sendo que 21 deles foram vividos no episcopado como servo para todos e sinal de santidade.

Nosso Fundador

“Dom Bosco”

Dom Bosco nasceu em Castelnuovo d’Asti (hoje Castelnuovo Dom Bosco), na Itália, em 16 de agosto de 1815, numa família camponesa. O pai Francisco Bosco, morreu aos 34 anos, quando ele tinha dois anos. A mãe, Margarida Occhiena depois de sua morte cuidou da sogra, o filho Antônio, filho do primeiro casamento, José e João Bosco. Margarida cuidou de instruir pessoalmente os filhos na educação e na religião, torná-los obediente e ocupando-os com coisas compatíveis a idade. Aos nove anos de idade João começou a estudar, numa escola que ficava a 5 quilômetros de Castelnuovo, além disso trabalhava no campo e ajudava a mãe com os afazeres da casa. 

Aos 9 anos de idade teve um sonho neste sonho o  Espírito Santo lhe deu uma sensibilidade especial para perceber, mediante varias experiências, o abandono e os perigos a que estavam expostos os jovens de seu tempo. Neste sonho aparece-lhe Jesus – “um homem venerando, de aspecto varonil, nobremente vestido […] seu rosto era luminoso”; Maria – “[…] uma senhora de aspecto majestoso, vestida com um manto todo resplandecente, como se cada parte fosse uma estrela fulgidíssima” e muitos outros personagens que retratam sua missão. A princípio neste sonho nada ficou claro para ele: “Não se deve dar caso dos sonhos […], todavia não pude tirá-lo da minha cabeça”.  Ainda menino entretinha os jovens colegas, com mágicas, brincadeiras, oração e instrução religiosa. Pe. João Calosso ajudou-lhe no seu sonho em querer estudar para ser sacerdote, mas encontrou muitas dificuldades e conflitos com o irmão Antônio, por causa do trabalho no campo. Torna-se seminarista em 30 de Outubro de 1835, onde se encontra com São José Cafasso seu diretor espiritual. Em 1841 é ordenado Sacerdote. Agora como Padre João Bosco ou Dom Bosco, começou a reunir ao seu redor meninos, e organizava um entretenimento no qual ele chamou de “oratório festivo”, onde se cantavam, brincavam, rezavam e se ensinava a amar a Deus. O oratório festivo é a obra mais característica de Dom Bosco; ele foi jovem estando no meio deles, e por estar no meio deles, pôr-se em sintonia com o futuro, deixando como herança a Família Salesiana a sua experiência no oratório de Valdocco, no Sistema Preventivo, um método educativo que se baseia inteiramente na razão, na religião e na bondade “nossos meninos devem sentir que são amados”. São Domingos Sávio foi o primeiro fruto de santidade do sistema educativo de Dom Bosco, e muitos outros que não estão na glória dos altares, mas estão junto aos santos nos céus e muitos outros frutos virão nos dias de hoje. Fundou a congregação salesiana, graças à ajuda de muitos colaboradores, entre os quais o papa, reis e rainhas, marques (as), duques (as), pessoas cujo único objetivo, que alimentava este sonho, era de salvar a juventude, seguindo o lema: “Da Mihi Animas Cetera Tolle” – Dai-me as almas e fica com tudo o mais. Aos 72 anos de idade, desgastado e cansado pelos intensos trabalhos, não se deixou abater jamais; tinha como alimento e promessa o “pão, trabalho e paraíso” frase que sempre falava aos seus salesianos, jovens, colaboradores. Foi agraciado com o descanso dos justos no dia 31 de janeiro de 1888. Foi beatificado em 2 de junho de 1929 e canonizado em 1 de abril de 1934 pelo papa Pio XI; João Paulo II declarou-o “Pai e Mestre da Juventude”.

1º Suscessor de Dom Bosco

“Miguel Rua”

Em 1859, Miguel Rua acompanhou Dom Bosco na audiência com o Papa Pio IX para a aprovação das Constituições Salesianas e, ao retornar, teve confiada a direção do primeiro oratório, em Valdocco. Foi ordenado sacerdote em 29 de julho de 1860. Dom Bosco escreveu a ele um bilhete: “Verás melhor do que eu a Obra salesiana atravessar os limites da Itália e estabelecer-se no mundo”.


O Padre Rua abriu a primeira casa salesiana fora de Turim, em Mirabello. Poucos anos depois, retornou a Valdocco, substituindo e assistindo Dom Bosco em tudo. Em novembro de 1884, o Papa Leão XIII nomeou o Padre Rua vigário e sucessor de Dom Bosco, que morreria em seus braços quatro anos depois.
O Padre Rua enfrentou e superou inúmeras dificuldades no governo da Congregação. Consolidou as missões e o espírito salesiano até sua morte, no dia 6 de abril de 1910, aos 73 anos. Com ele, a Congregação passou de 773 a 4000 Salesianos, de 57 a 345 Casas, de 6 a 34 Inspetorias em 33 países.

 

Mais informações: https://www.sdb.org/pt/Dom_Bosco/Os_Sucessores

Reitor Mor e Seu Conselho

“FERNÁNDEZ ARTIME Ángel”


FERNÁNDEZ ARTIME Ángel nasceu a 21 de agosto de 1960, em Gozón-Luanco, nas Astúrias, Espanha. Fez a primeira Profissão Religiosa Salesiana no dia 3 de setembro de 1978 e a Profissão Perpétua em 17 de junho de 1984, em Santiago de Compostela, sendo ordenado de sacerdote aos 4 de julho de 1987, em Leão. È originário da Inspetoria de Leão; e laureado em Teologia Pastoral e licenciado em Filosofia e Pedagogia.

Foi sucessivamente Delegado da Pastoral Juvenil, Diretor de escola em Ourense, membro do Conselho Inspetorial, Vigário Inspetorial e, de 2000 a 2006, Inspetor (ou Provincial) Salesiano. Depois de participar da Comissão técnica que preparou o Capítulo Geral 26 (de 2008), foi, em 2009, nomeado Superior da Inspetoria da Argentina Sul (ARS), com sede em Buenos Aires. Nesse encargo pôde também conhecer e colaborar pessoalmente com o então Arcebispo de Buenos Aires, Cardeal Jorge Mario Bergoglio, hoje Papa Francisco. No dia 23 de dezembro de 2013 foi nomeado Superior da nova Inspetoria da ‘Espanha Mediterrânea’, dedicada a Maria Auxiliadora. Mas, antes de tomar posse nesse novo encargo, foi, no passado 25 de março de 2014, eleito pelo Capítulo Geral 27 novo Reitor-Mor da Congregação Salesiana, tornando-se o X Sucessor de Dom Bosco.

Conselho Geral

Vigário do Reitor-Mor: P. MARTOGLIO Stefano
Conselheiro para a formação: P. COELHO Ivo
Conselheiro para a pastoral juvenil: P. GARCÍA MORCUENDE Miguel Ángel
Conselheiro para a comunicação social: P. DOS SANTOS MENDEZ Gildásio
Conselheiro para as missões: P. MARAVILLA Alfredo
Ecónomo general: Hno. MULLER Jean Paul
Consejero para la Región Africa-Madagascar: P. OWOUDOU Alphonse
Consejero para la Región Latin Amrica Cono Sur: P. ROMERO Héctor Gabriel
Consejero para la Región Asia Este-Oceania: P. NGUYEN Thinh Phuoc Joseph
Consejero para la Región Asia Sur: P. MICHAEL Biju
Consejero para la Región Europa Centro Norte: P. JACHIMOWICZ Roman
Consejero para la Región Interamrica: P. OROZCO SÁNCHEZ Hugo
Consejero para la Región Mediterranea: P. PÉREZ GODOY Juan Carlos
Secretário geral: P. VANOLI Stefano 

Mais informações: https://www.sdb.org/pt/Conselho/

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀