EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

O compromisso com a vida é o centro da Evangelização

Manaus/AM – O segundo dia de seminário, no sábado (27/04), foi dedicados a elaborações de oficinas com temáticas diversas referente a catequese indígena. Pela parte da manhã começou com a oração e em seguida da memória do dia anterior e depois houve a organizações das oficinas que durou toda a manhã. Pela parte da tarde foram apresentados os resultados das seis oficinas que brevemente estão serão apresentados a seguir:

1. Ritos e mitos: a compreensão dos ritos e: mitos se torna indispensável para a compreensão de um povo e por isso torna-se indispensável uma inculturação profunda dos valores do evangelho transmitidos e vivido pela catequese.

2. Bíblia e catequista indígena: a pergunta fundamental é, qual é o papel da Bíblia na catequese.  Faz-se necessário recuperar e estudar os significados dos Mitos e Ritos. Fazendo a ponte entre mito e bíblia foi feita uma do mito da terra sem males  e do mito da criação presente no livro do Genesis.

3. Catequese na cultura indígena: Inculturar o Evangelho na catequese Indígena tendo como centro a Pessoa de Jesus.  Foi visto a Inculturaçao a partir do estar juntos e no meio dos povos indígenas participando especialmente dos momentos comunitários.

4. Protagonismo na catequese Indígenas: fazer com que o próprio indígenas possa assumir o próprio processo de evangelização.

5. Evangelização e catequese indígena na cidade: há a dificuldade da invisibilidade da questão indígena o que torna o trabalho muito difícil.  Ainda existem as lideranças.  Buscando meios para melhorar a vida dos indígenas são feito as associações que em muitos aspectos enfraquecem a autoridades dos lideres locais. Os grupos têm suas lideranças e estas entram conflitos com a forma de organizações jurídicas.

6. Espiritualidade e catequese na cultura indígena: a busca da compreensão do Divino deve respeitar a dinamicidade de cada cultura indígena. Os missionários devem estar conscientes que devem ser boa nova e não trazer boa nova.

Depois das apresentações das oficinas houve um momento de reflexão e debates por partes dos assessores (Padres: Paulo Suess, Lima, Eliazar) que retomaram temas importantes tais como: a) a importância da formação  dos catequistas dentro dos valores da própria cultura; b) salvaguardar a dimensão do mistério; c) ter uma consciência clara de que a fé já esta nas culturas e o zelo dos missionários e catequistas é fazer-se presente no meio do povo; d) ter a convicção de que somos portadores de algo que pode contribuir para um mundo novo a partir dos valores dos povos indígenas.

Concluindo pode se afirmar que a missão da Igreja não é destruir os mitos, ritos, mas fortalecer a identidade de cada povo. Os cristãos e os povos indígenas tem a oportunidade de contribuir para a vida do planeta. O compromisso com a vida é o centro da Evangelização.

Por Pe. José Francisco Ribeiro, sdb

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CURATORIUM DO CRESCO

No dia 22 de fevereiro em Tlaquepaque, Jalisco, México, os Inspetores das regiões do Cone Sul e Interamérica se reuniram para participar do Curatorium do

Leia mais

BOSCOFOLIA 2024

No dia 13 de fevereiro, o Pró Menor Dom Bosco, na Zona Leste de Manaus, foi palco de uma celebração única neste Carnaval. O BoscoFolia

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

plugins premium WordPress
Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀