EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

Na convivência se aprende se ensina


A BELEZA DE SABER RESPEITAR, INTERAGIR E CONVIVER COM O DIFERENTE SEM PERDER A INDENTDADE…
(Pe Zema – SDB)
São Gabriel da Cachoeira – AM



Conviver implica possuir o senso de valor do núcleo familiar, costumes e tradições, pertença nacional a uma superfície territorial, pertença à uma religião. É também ter presente sempre as raízes culturais e sociais. Evitar os dogmatismos, fundamentalismos e intolerâncias, recomenda uma postura que impede a imposição de uma única forma de pensar, de acreditar e de viver.
Cada pessoa nasce em uma matriz cultural e isso a leva pertencer a um grupo específico que indica o que é e o que faz, o que pensa e em que crê; na rotina ou no extra-ordinário da vida. Não há, portanto, cultura e povos superiores ou inferiores; pessoas cultas ou incultas. Isso nos remete a entender e a apreende que não há uma determinada civilização em contra ponto a uma “incivilização”. Há, entretanto, “DIFERENÇAS” culturais, religiosas, de entendimento cósmico etc. “Tais elementos pertencentes a uma grupo determinado é o sustento e um dos instrumentos das diversas identidades pessoais e grupais” .
Dessa forma, descobrimos a importância de aprender a valorizar o que é próprio e o que é diferente. Implica no esforço pessoal e coletivo para não transformar as diferenças (geográfica, culturais, de povo, de gênero… ) em desigualdades. A diversidade e o respeito às consideradas “minorias” são tão importantes quanto o governo das “consideradas” maiorias. O fanatismo é ódio à inteligência, medo da razão .
No alto Rio Negro em determinados momentos aparecem posturas humanas relembradas acima. Mas acreditamos que com o esforço de todos e já existem sinais, os povos desta região começaram a falar em verso e prosa da seguinte maneira:



SOU CACHOEIRAS DE UM RIO
São Gabriel! Serras, rios e cachoeiras/Polis na selva diz ao mundo aqui estou!/Bela, adormeço e me torno fagueira ./Não me curvo, sou ousada./ Passo a passo eu avanço/Do alto do rio sou!



Do alto do rio que nasce, corre e continua negro,
Sou a cidade vou re-agir com a força das guerreiras,
Na gabrielice da cor dos meus filhos e filhas
Sou água, sou serras, sou selva e cachoeiras.



Quando os raios do sol minhas águas iluminam
Barcos deslizam sobre pedras e negras águas
Refletem as luzes nos rostos canoeiros
Cantam as aves, chove a cântaros, migram os bichos,
Povos da mata unem as forças, são guerreiros!



Enamoro a quem me conhece
Cativo a quem de mim se aproxima
Promovo a quem te me quer bem
Acolho o forasteiro e o concebo filho,
Como é significado do meu nome
Anuncio sempre o que virá por fim.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CURATORIUM DO CRESCO

No dia 22 de fevereiro em Tlaquepaque, Jalisco, México, os Inspetores das regiões do Cone Sul e Interamérica se reuniram para participar do Curatorium do

Leia mais

BOSCOFOLIA 2024

No dia 13 de fevereiro, o Pró Menor Dom Bosco, na Zona Leste de Manaus, foi palco de uma celebração única neste Carnaval. O BoscoFolia

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

plugins premium WordPress
Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀