EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

Jovens em vulnerabilidade social (1)

Escrevo esta primeira parte do artigo na memória de um santo jovem, protetor dos jovens, São Luís de Gonzaga. Nasceu em Mântua, Itália, no ano de 1568 e morreu em Roma em 1591, com apenas 23 anos. Renunciou a uma vida nobre e ingressou na Companhia de Jesus, Jesuítas. Jovem educado, com espírito de sacrifício, caridade ativa e profunda experiência de Deus.

Infelizmente, quando o assunto é jovem, sobretudo das periferias da cidade de Manaus, ainda se pensa em criminalidade, quer dizer, delinquência juvenil. Seria esta uma leitura correta ou um estigma social?

As reflexões sobre as juventudes e as políticas públicas sociais avançaram no Brasil durante o governo Lula, sobretudo a partir de 2005 com as políticas nacionais de juventude. O Pró-jovem, por exemplo, é o carro chefe dos 32 projetos que o governo federal tem para desenvolver a educação básica, a inclusão digital e a capacitação profissional juvenil. Contudo, ainda precisamos concretizar muitos desses projetos e ouvir os jovens, hoje classificados na idade entre os 18 aos 30 anos. Saber o que eles pensam dessas metas é muito importante.

O que seria, então, vulnerabilidade social dos jovens? Ser jovem, em tese, nos remete a energia, vontade de viver, futuro. Entretanto, hoje é comum o contrário. Sem perspectivas e mergulhados numa sociedade de consumo e da indiferença, os jovens vivem menos, por conseguinte morrem mais cedo. Os homicídios que segundo dados do IBGE aumentaram 41% nos assustam, os suicídios e os acidentes automobilísticos envolvendo jovens ensopam as paginas dos jornais cotidianamente. É um grito que sobe aos céus. Não podemos ficar indiferentes.

Pesquisam apontam que a maioria dos jovens são obrigados a fazer uma lamentável opção: trabalhar ou estudar. Realizar ambas as atividades é para poucos. Infelizmente os que trabalham e ganham pouco, sobrevivem; abandonam a família e rompem com os vínculos familiares muito cedo. Aqueles que apenas estudam dependem dos pais ou de algum familiar ou se prostituem, aumentando mais ainda a vulnerabilidade social. É cada vez mais alarmante o uso de adolescentes e jovens pelo tráfico de drogas e assaltos. Enquanto nos países chamados desenvolvidos os jovens são capacitados e qualificados para o mercado de trabalho aqui eles recebem uma qualificação inferior, portanto, desqualificados para o trabalho.

Seriam, então, os jovens na linha de pobreza delinquentes em potencial? A sociedade da desigualdade social e da corrupção institucionalizada pode lavar as mãos diante deste quadro social? Um grito por justiça sobre aos céus e a pergunta divina ecoa em nossos ouvidos ainda hoje: Onde está o teu irmão Abel? (Gen 4,9).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POR UMA PARÓQUIA SINODAL

Na quarta-feira (25/01), as lideranças comunitárias e pastorais da paróquia Nossa Senhora das Graças em Ananindeua/PA, se reuniram no salão São José, da Igreja Matriz, para o primeiro encontro da

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀