EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

Jovens, discípulos e missionários

O tema central da próxima Assembléia Geral da CNBB (9-17/05/2006) tratará de uma questão vital para o futuro da Igreja e da sociedade: evangelização da juventude. Se as novas gerações forem evangelizadas adequadamente, poderemos esperar que também elas, uma vez assimiladas as riquezas da fé, continuarão a apreciá-las e transmiti-las e saberão atuar na sociedade com o coração e a inteligência bem formados pela sabedoria do Evangelho. Mas se nossa geração não passar aos jovens a herança apostólica e o tesouro das experiências da vida eclesial, o que poderemos esperar para o futuro?


A realidade atual da evangelização da juventude muitas preocupações: Conseguem ainda as famílias educar os filhos na fé? As escolas, colégios e instituições católicas de educação e ensino ainda o fazem? As próprias paróquias conseguem fazê-lo? Quem o faz? O ambiente cultural está passando por profundas mudanças e a transmissão da fé, que acontecia espontaneamente, já não está acontecendo mais. Não é difícil constatar que em nossas paróquias e organizações eclesiais os jovens geralmente estão ausentes, pois perdemos o contato com eles. Onde estão eles? Que fazemos para ir ao encontro deles?


Os jovens, talvez mais que os adultos, sofrem as conseqüências da transformação social e cultural do momento.Migrações, desemprego, pobreza, drogas, violência e incerteza diante do futuro são apenas alguns sinais da fragmentação de um mundo que já não oferece valores e referências seguras e estáveis, onde tudo é medido pela utilidade prática e pelas satisfações imediatas. Mas os jovens não querem jogar fora sua vida; não querem ser enganados e continuam a buscar bases e referências sólidas, que permitam construir um projeto de vida.



A evangelização da juventude requer uma avaliação de nossas metodologias pastorais. Por vezes, também nós esperamos deles resultados imediatos e queremos que eles sejam logo protagonistas na Igreja e militantes na sociedade, sem lhes oferecermos aquilo que precisam para se tornarem verdadeiros protagonistas.Eles merecem, antes de tudo, e precisam “ver Jesus Cristo” que os chama e conhecer a força do seu Evangelho em toda a sua beleza e plenitude. De nós, adultos, eles esperam que lhes proporcionemos oportunidades para o encontro com Jesus Cristo e para uma profunda experiência do amor de Deus em suas vidas. E têm razão de esperá-lo de nós!



Os jovens deveriam merecer a atenção privilegiada de nossas organizações e estruturas eclesiais e pastorais. Três elementos me parecem importantes: o anúncio, a acolhida e o acompanhamento com um itinerário formativo. Esses elementos são relacionados entre si e podem ser separados apenas metodologicamente.



Mediante o anúncio, os jovens recebem o querigma cristão, que os alcança de uma forma nova, mesmo já tendo feito a s catequeses de iniciação cristã. O momento existencial agora é outro. Os jovens que freqüentam a Igreja regularmente recebem pelo menos um mínimo desse bom anúncio através das homilias e das próprias celebrações. A eles precisam ser proporcionadas oportunidades para a iniciação na leitura da Palavra de Deus e no conhecimento das riquezas da fé da Igreja. Sem isso, como poderão amar e valorizar a fé que receberam no batismo, sobretudo nos momentos de contradição e prova? Pelo anúncio, os jovens receberão as luzes da Palavra e o testemunho da comunidade eclesial, que lhe são necessários para as grandes escolhas na vida, para o discernimento e a ação no mundo do qual fazem parte.



A maioria dos jovens, depois da crisma, não são mais alcançados pelo anúncio e não sentem a Igreja como sua. Por isso, deveriam merecer especial atenção os muitos jovens batizados que nem fizeram as catequeses de iniciação e estão totalmente excluídos da evangelização. Seria necessário organizar muitas iniciativas de anúncio voltadas para eles, para não ficarem totalmente estranhos à comunidade eclesial e à partilha dos “bens espirituais” da Igreja.



O anúncio sem um espaço de acolhida corre o risco de ser como a semeadura num terreno pedregoso e cheio de espinhos. Os jovens têm necessidade de compartilhar as experiências humanas e religiosas próprias de sua idade. Os espaços de acolhida podem ser nossas estruturas eclesiais, como as comunidades e paróquias, grupos e movimentos; podem também ser famílias, que abrem suas portas para os jovens, oferecendo-lhes um ambiente para o encontro e o crescimento na fé, juntamente com seus próprios filhos adolescentes e jovens. Podem ser ainda as escolas, colégios católicos e casas religiosas, onde os jovens poderão sentir a acolhida amorosa e familiar. Nos espaços da Igreja os jovens deveriam sentir-se como em sua casa.



Por outro lado, eles necessitam também de itinerários formativos e do acompanhamento de pessoas adultas e maduras, que os ajudem no amadurecimento humano e cristão. Tais itinerários devem prever os diversos aspectos da formação humana e crista dos jovens e incluir as riquezas da experiência da fé eclesial. Uma pedagogia adequada deve estimular os jovens a serem sujeitos e protagonistas de sua formação, e não objetos ou destinatários passivos. Eles precisam de oportunidades para o encontro e a partilha com outros jovens e ser ajudados a perceber seu espaço na Igreja e na sociedade, para fazer as escolhas com discernimento e generosidade.



A V Conferência Geral tem como objetivo ajudar a Igreja na América Latina e no Caribe a aprofundar sua identidade como discípula e missionária de Jesus Cristo, para que nele nossos povos tenham vida. Não é outra a finalidade da evangelização da juventude: ajudar os jovens a serem discípulos e missionários de Jesus Cristo. Assim eles também farão a sua parte para que o futuro dos nossos povos seja melhor.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CURATORIUM DO CRESCO

No dia 22 de fevereiro em Tlaquepaque, Jalisco, México, os Inspetores das regiões do Cone Sul e Interamérica se reuniram para participar do Curatorium do

Leia mais

BOSCOFOLIA 2024

No dia 13 de fevereiro, o Pró Menor Dom Bosco, na Zona Leste de Manaus, foi palco de uma celebração única neste Carnaval. O BoscoFolia

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

plugins premium WordPress
Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀