EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

A MENSAGEM DO REITOR-MOR, Pe. Ángel Fernández Artime

Este ano, ouvimos as palavras de Isaías mais verdadeiras do que nunca: “O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; sobre aqueles que habitavam na terra das trevas uma luz brilhou.”

Queridos amigos, neste tempo há mais luz em nossas cidades. Estrelas e vitrines anunciam a chegada da festa de Natal. Na enxurrada de Papais Noéis, renas e bonecos de neve, algumas imagens do Menino Jesus raramente piscam, mesmo sendo Ele o rei da festa. Como recordou o Papa Bento XVI, «a glória de Deus não se manifesta no triunfo e no poder de um rei, não resplandece numa cidade famosa, num suntuoso palácio, mas habita no seio de uma virgem, revela-se na pobreza de um bebê. A onipotência de Deus, mesmo em nossas vidas, opera com o poder muitas vezes silencioso da verdade e do amor. A fé diz-nos, então, que a força indefesa daquele Menino supera finalmente as vozes dos poderes do mundo. E na noite do mundo, sejamos novamente surpreendidos e iluminados por este ato totalmente inesperado de Deus: Deus se torna uma criança. Deixemo-nos surpreender e iluminar pela Estrela que inundou o universo de alegria. Que o Menino Jesus, quando vier a nós, não nos encontre despreparados, empenhados apenas em embelezar a realidade externa”.

A maioria de nós vive a preparação para o Natal com emoção e nostalgia com seus rituais e celebrações. Algumas pessoas podem não conseguir sentir no coração o que significa este belo Mistério da presença de Deus que é Amor. Muitos outros o fazem. Mas, em todo caso, é sempre um belo momento de humanidade, de graça, de desejo de paz, de esperança.

Não podemos esconder que estamos realmente vivendo “uma noite no mundo”. Vivemos a noite, vivemos um tempo de dor, de desespero, de guerra, de morte.

Não podemos ignorar a guerra que está sendo travada na Ucrânia.

Não esqueçamos os milhares e milhares de vidas abreviadas pelo pecado da guerra e pela morte que ela semeia por toda parte.

Não ignoramos que milhares e milhares de pessoas estão deslocadas na Ucrânia e que centenas de milhares vivem em condições subumanas na clandestinidade, sem luz e calor e com pouca comida.

Além da Ucrânia, existem outros 29 focos de guerra e guerrilha no mundo com os mesmos efeitos de morte e desolação.

Mais de 35.000 pessoas são mortas a cada ano em alguns países latino-americanos.

O número de pobres na Europa (aqueles de nós que pensávamos estar a salvo de tudo) mais do que dobrou em relação a dois ou três anos atrás.

Não conseguimos conter a fome mundial, que até aumentou.

As catástrofes de incêndios e inundações, consequência das alterações climáticas num planeta doente, alertam-nos cada vez com mais frequência.

Na última cúpula do clima, as nações que mais poluem nem estiveram presentes, como se o problema também não as preocupasse.

Isso não pode ser definido como uma “noite da humanidade”? O Papa Francisco declarou: “Este ano a nossa oração tornou-se um apelo sentido, porque hoje a paz foi gravemente violada, atacada e pisoteada, e isto na Europa, precisamente no mesmo continente que no século passado sofreu os horrores de duas guerras mundiais. E agora estamos vivendo em uma Terceira Guerra Mundial.”

A manifestação da bondade de Deus em Jesus Cristo e seu amor pelos homens nos tiraram dessa situação. Deus nos salvou, como diz a carta a Tito. Ele nos libertou das correntes que nos prendiam. Ele pôs fim às nossas lacerações e retrocessos e nos trouxe de volta ao caminho certo. Ele nos libertou da obsessão do ódio. Quando a sua humanidade se manifestou em Cristo, esta verdadeira imagem do homem mudou algo também em nós. Colocou-nos em contato com a imagem original que Deus fez de nós e fez a imagem original brilhar com uma nova beleza.

O Papa Francisco voltou várias vezes neste período para falar de esperança, exortando-nos a olhar a nossa existência com novos olhos, sobretudo agora que atravessamos uma dura provação, e a olhá-la com os olhos de Jesus, o “autor de esperança”, para nos ajudar a superar estes dias difíceis, com a certeza de que a escuridão se transformará em luz. A esperança é “uma virtude que nunca desilude: se esperas, nunca serás desiludido”, disse o Papa Francisco. É uma virtude que, num poema do grande escritor católico francês Charles Péguy, surpreende até a Deus, porque o autor o faz dizer: “A fé que mais amo, diz Deus, é a esperança. O que me surpreende… é a esperança”.

Onde podemos encontrar, descobrir, tocar os frutos da Encarnação, do Natal de mais de 2.000 anos e da Vida que nos vem da Ressurreição do Senhor? Temos motivos de esperança ou a noite escura nos impede de encontrá-los?

O Menino tem as mãos vazias, porque o dom de Deus, o dom supremo para a humanidade, é Ele. Não um super-homem, mas um ser frágil, pequeno e indefeso como nós. Para nos dizer: partamos disto, recomecemos da ternura. Vamos nos olhar nos olhos e reencontrar a vida idêntica que pulsa em nós. Aos olhos de um determinado mundo pode parecer ridículo, pisoteado, eliminado, mas sabemos que possuímos uma força que pode perturbar a escuridão. Jesus é a pequena luz que nos foi confiada.

Agora é a nossa vez. Um belo presente vale a pena se você usá-lo! Como todos os dons, existe uma forma de “reciclar” o dom de Deus: devolvendo a vida! E é sem dúvida assim: perante tanta noite, há também tanta vida. A vida que Maria de Nazaré nos traz em seu filho recém-nascido e a vida de tantos filhos que suas mães, com imenso amor, dão à luz em nome de Deus. A vida de tanta generosidade anônima de milhões de pessoas que cada dia são dirigidas ao próximo, ao necessitado, ao idoso solitário. A vida é aquela dada por tantos anônimos que lutam silenciosamente contra tanta escuridão e pessimismo. A vida, parece-me, é o que se semeia todos os dias em milhares e milhares de presenças salesianas pelo mundo, onde um gesto, um sorriso, um pedaço de pão ou um prato de arroz, um momento de encontro semeia luz e esperança. Tudo isso, acredito.

Fonte: https://www.infoans.org/pt/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POR UMA PARÓQUIA SINODAL

Na quarta-feira (25/01), as lideranças comunitárias e pastorais da paróquia Nossa Senhora das Graças em Ananindeua/PA, se reuniram no salão São José, da Igreja Matriz, para o primeiro encontro da

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀