EnglishFrenchGermanItalianPolishPortugueseSpanish


Notícias

Retratação

Bento XVI exige retratação de bispo que teve excomunhão suspensa

O papa Bento XVI pediu ao bispo Richard Williamson, da Fraternidade Pio X, para que se retratasse publicamente, “de maneira absolutamente inequívoca” sobre a sua postura com relação à Shoah. Poucos dias após ser beneficiado com a suspensão da excomunhão pelo papa Bento XVI, dom Williamson negou publicamente a existência de câmaras de gás nos campos de concentração e reduziu a 300 mil o número de judeus assassinados durante a II Guerra Mundial. Tal declaração gerou polêmica, sobretudo nas comunidades judaicas e na Alemanha.

Uma nota de esclarecimento, publicada no dia 4 de fevereiro pela Secretaria de Estado da Santa Sé, diz que o papa Bento XVI desconhecia, até o momento da suspensão da excomunhão, a postura de dom Williamson sobre o holocausto.

“A postura de dom Williamson sobre a Shoah é absolutamente inaceitável e firmemente repudiada pelo papa, como ele mesmo recordou em 28 de janeiro passado, quando se referindo àquele execrável genocídio, reafirmou sua plena e indiscutível solidariedade com nossos irmãos destinatários da Primeira Aliança, e afirmou que a memória daquele terrível genocídio deve induzir à ‘humanidade a refletir sobre o poder imprevisível do mal quando conquista o coração do ser humano’, assinalando que a Shoah continua sendo para ‘todos uma advertência contra o esquecimento, contra a negação ou o reducionismo, porque a violência contra um só ser humano é violência contra todos”, afirma o texto.

O pedido de retratação feito pelo papa Bento XVI foi visto de maneira positiva pela chanceler alemã, Angela Merkel, bem como pelo Conselho Central dos Judeus da Alemanha.

Excomunhão e suspensão

A ordenação de dom Richard Williamson e mais três bispos em 1988 por dom Marcel Lefèbre, fundador da ultraconservadora Fraternidade São Pio X, ocorreu sem o legado pontifício, o que a tornou ilícita perante a Santa Sé.

No dia 24 de janeiro, com a intenção de responder “benignamente aos reiterados pedidos do Superior Geral da Fraternidade São Pio X” e de “eliminar um impedimento à abertura de uma porta ao diálogo”, a Congregação para os Bispos publicou um decreto, em que o papa suspendeu a excomunhão dos quatro bispos.

“O levantamento da excomunhão liberou os quatro bispos de uma pena canônica gravíssima, porém não mudou a situação jurídica da Fraternidade São Pio XI que, no momento, não goza de reconhecimento canônico na Igreja Católica. Os quatro bispos, apesar de liberados da excomunhão, tão pouco têm uma função canônica na Igreja e não exercem licitamente um ministério nela”, explica a nota. Segundo a Secretaria de Estado da Santa Sé para um reconhecimento futuro da Fraternidade Pio X é indispensável que ela reconheça plenamente o Concílio Vaticano II e o Magistério dos papas João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II e de Bento XVI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POR UMA PARÓQUIA SINODAL

Na quarta-feira (25/01), as lideranças comunitárias e pastorais da paróquia Nossa Senhora das Graças em Ananindeua/PA, se reuniram no salão São José, da Igreja Matriz, para o primeiro encontro da

Leia mais

Está gostando deste Conteúdo? Compartilhe!

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀