A inspetoria

A Inspetoria

Em 1916, o Brasil salesiano estava formado por duas inspetorias: A Inspetoria de Maria Auxiliadora, com sede em São Paulo, compreendendo o Brasil Sul e o Brasil Norte, sendo Inspetor o Padre Pedro Rota; e a Inspetoria de Mato Grosso, dedicada a S. Afonso Maria de Liguori, que tinha como inspetor o Padre Antônio Malan.

 

A Prefeitura Apostólica do Rio Negro, confiada pelo Papa à Congregação Salesiana em 1914, estava ligada canonicamente à Inspetoria de São Paulo, embora os anuários da Congregação Salesiana às vezes a coloquem depois da Inspetoria de Mato Grosso (1916,1918). Na realidade, sendo território de missão, dependia de recursos humanos e materiais que eram providenciados diretamente pelo centro da Congregação Salesiana. 
Em 1916 Mons. Lourenço Giordano, Prefeito Apostólico, era o superior da missão e o Padre João Balzola era o diretor. Em 1918 a Prefeitura Apostólica do Rio Negro recebeu mais dois salesianos leigos: o Sr. Miguel Blanco, encarregado das atividades educativas na sede da Prefeitura, e o Sr. Raimundo Marti, que por motivos de saúde, ficou só dois anos em São Gabriel da Cachoeira. Em 1919 chegaram mais dois salesianos leigos: o Sr. Antônio Machado e o Sr. João Batista Zanella, que colaboraram nas atividades agrícolas e na manutenção da missão. Neste mesmo ano faleceu o Prefeito Apostólico, Mons. Lourenço Giordano.

Em 1925 foi criada a Inspetoria São Luis Gonzaga, com sede em Recife, tendo como primeiro inspetor o Pe. Ambrósio Tirelli. Manaus e a Prefeitura Apostólica do Rio Negro passaram a fazer parte da nova Inspetoria. No mesmo ano, por determinação da Santa Sé, as Prefeituras Apostólicas da Amazônia, incluindo o Rio Negro, passaram a ser “Prelazias Nullius” (de nenhuma diocese) e ainda foram criadas outras como a de Porto Velho, que também foi confiada aos salesianos em 1927. Dom Pedro Massa passou a ser o primeiro Prelado do Rio Negro e Administrador Apostólico da Prelazia de Porto Velho, onde o Padre Antônio Peixoto exerceu a função de Vigário Geral. A partir daí começou o processo de expansão da presença salesiana na Amazônia: em 1926 foi fundada a missão da Taracuá; em 1927, Barcelos; em 1928, Porto Velho; em 1929, Humaitá; em 1930 Iauareté; em 1931 o Colégio Nossa Senhora do Carmo, em Belém; em 1939 foi assumida a direção do Seminário diocesano de Belém; em 1940 foi fundada a missão de Parí Cachoeira; em 1942 foi assumida a direção do Seminário diocesano de Manaus; em 1943 foram fundadas as missões de Santa Isabel do Rio Negro e São Carlos do Jamari; em 1948 teve início a presença salesiana em Ananindeua, na Casa do Filho do Seringueiro; em 1953 a residência missionária em Assunção do Rio Içana; em 1955 foi fundada a Escola Industrial Salesiana São Domingos Sávio, em Manaus. De 1956 a 1958 a presença salesiana na Prelazia de Porto Velho passou a depender da Inspetoria São João Bosco do Rio de Janeiro.

Em 1958, após o Capítulo Geral 18 e a canonização de São Domingos Sávio, foram criadas as inspetorias de São Pio X, em Porto Alegre e S. Domingos Sávio, em Manaus. O primeiro inspetor da nova inspetoria do norte do Brasil foi o Padre Miguel D’Aversa, que em 1962 foi nomeado bispo prelado de Humaitá. “Trecho do documento de anúncio do novo inspetor: De 20 de julho a 8 de agosto de 1958 realizou-se o 18º Capítulo Geral da Congregação, sob a presidência do Reitor-Mor, Pe. Renato Ziggiotti. À tarde, cumprindo as determinações do mesmo, reuniu-se o Capítulo (hoje Conselho) Superior com os três conselheiros recém-eleitos e anunciou a criação de três novas Inspetorias e duas Visitadorias. No dia 10, à hora do almoço, foram distribuídas as obediências aos novos Inspetores: a Inspetoria do Recife coube ao Pe. Agenor Pontes e a de Manaus ao Pe. Miguel D’Aversa. A nova Inspetoria, intitulada ISMA (Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia), a primeira anunciada, abrangia os estados do Maranhão, Pará e Amazonas e os ainda territórios limítrofes. Apesar de várias propostas para que a sede fosse Belém, estabeleceu-se que seria em Manaus, por ser o centro geográfico da região. “Apesar da divisão – relata a crônica – é mais extensa do que a Inspetoria da qual foi desmembrada”. Na sua última circular como Inspetor do Nordeste, escrita em Recife (24 de setembro), o Pe. Miguel D’Aversa anuncia aos irmãos esses acontecimentos e se despede deles. Em 6 de novembro chega a Manaus e toma posse da nova Inspetoria, cuja sede, por determinação dos superiores, foi a então chamada Escola Industrial S. Domingos Sávio, na rua Visconde de Porto Alegre. (saiba mais)

 

Av. Visconde de Porto Alegre, 806, Praça 14 – Manaus/AM – CEP: 69020-130
salesianos@isma.org.br | (92) 98404-5028

Av. Visconde de Porto Alegre, 806, Praça 14 – Manaus/AM – CEP: 69020-130
salesianos@isma.org.br | (92) 98404-5028

Visite Também

Copyright © 2022 Inspetoria Salesiana São Domingos Sávio 

Ir para o Whatsapp
1
Precisa de ajuda?
Olá! Podemos te ajudar? 😀