Visita ao Papa Francisco - CG 27 2014 02

PAPA FRANCISCO NOMEIA PADRE BIRA BISPO AUXILIAR DE BELÉM

by / 0 Comments / 1339 View / 28 de junho de 2017

Por Vivian Marler –

Na manhã desta quarta-feira (28), o Papa Francisco, anunciou a nomeação do padre Antônio de Assis Ribeiro (sdb), como Bispo Auxiliar de Belém (PA).

A notícia chegou com muita alegria a Inspetoria São Domingos Sávio, onde o padre Antônio de Assis Ribeiro, desempenha os serviços como vice-inspetor e delegado para a Pastoral Juvenil Salesiana e Vocacional.

O Inspetor, padre Francisco Alves de Lima fala sobre a nomeação “A nomeação do padre Antonio reforça o profundo sentido eclesial vivido pelos filhos de Dom Bosco. O Santo dos Jovens queria que os seus salesianos colocassem todos os seus dons a serviço da Igreja, sobretudo vivendo com a alegria e sem temer os desafios, o serviço dedicado aos jovens, especialmente os mais pobres. Filho da Amazônia, o padre Antonio de Assis saberá partilhar os seus dons com a Igreja Particular de Belém, com o mesmo zelo pastoral, dedicação e entusiasmo que estão entre as muitas de suas características. Em nome de todos os salesianos e demais grupos da Família Salesiana rogo ao Bom Pastor que faça frutificar o ministério pastoral que generosamente o padre Antonio assume agora como bispo auxiliar de Belém”.

Padre Antônio de Assis Ribeiro, padre Bira como é conhecido, é natural da zona rural do município de Capitão Poço, no nordeste do Estado do Pará (26/7/66), onde foi alfabetizado. Estudou até a quinta série no Colégio Pe. Ângelo Moretti na cidade de Ourém (cidade vizinha). Foi ordenado Diácono em 25 de junho de 1994 e sacerdote em 17 de Junho de 1995, por Dom Miguel Maria Giambelli bispo da Diocese de Bragança, na Cidade de Ourém (PA).

É filho de agricultores, de família numerosa, sendo o quinto filho de onze (8 homens e 3 mulheres), seu pai chamava-se Hipólito dos Santos Ribeiro (já falecido) e sua mãe Domingas de Assis Ribeiro (76 anos).

CONVITE VOCACIONAL

Aos 13 anos teve seu primeiro contato com os salesianos por ocasião da ordenação da sacerdotal de um salesiano natural de Ourém, o padre Antônio Moraes, no dia 08 de dezembro de 1979. Os salesianos, naturalmente, se fizeram presentes naquela celebração.

“Fui apresentado por uma das minhas irmãs ao padre chamado José Manoel de Jesus, que logo, brincando, me perguntou quando eu iria entrar no Centro Vocacional Salesiano. Após alguns meses, em março, meu pai me levou para fazer um estágio lá no Centro Vocacional Salesiano em Ananindeua, e ao final dele, já aprovado, ingressei no aspirantado com o objetivo de continuar os estudos cursando a sexta séria”, nos conta padre Antônio.

CATEQUESE – PRIMEIRA COMUNHÃO

A catequese em preparação à primeira comunhão foi ministrada por uma religiosa da Congregação das Missionárias de Santa Teresinha, a Ir. Afonsina no primeiro semestre de 1979, na sede paroquial em Ourém. A festa da primeira comunhão foi celebrada no dia 17 de junho daquele ano. Dezesseis anos depois, no mesmo dia, foi ordenado sacerdote.

“Certo dia, numa tarde de sábado, durante a catequese, a Ir. Alfonsina, minha catequista, inspirada, declarou que daquele grupo de meninos sairiam dois padres; eu ainda era muito menino, tinha 13 anos, mas me senti profundamente tocado, não comentei com ninguém. Foi uma revelação correta!”, recorda com alegria.

FORMAÇÃO NO ASPIRANTADO SALESIANO

De 1980 a 1984, estive no Centro Vocacional Salesiano (hoje atual colégio do Carmo Ananindeua), lá cursei da sexta série, até o segundo ano do ensino médio. Foi uma experiência de vida e formação de grande enriquecimento. Formávamos uma grande família: de um lado havia os salesianos (educadores) e do outro os adolescentes e jovens aspirantes de 13-18 anos mais ou menos.

“A formação era exigente composta por uma grande lista de atividades: aulas de educação moral, formação humana, trabalho manual, esporte, catequese, missa todos os dias, estudo formal, teatro, música… Nos finais de semanas, sobretudo aos domingos, para os maiores, havia também a possibilidade da experiência pastoral. Ao longo daqueles anos fiz duas experiências diferentes: trabalhei na comunidade do Abacatal, uma comunidade rural, e no Centro de Recepção de Triagem de Menores – hoje não existe mais. Foi uma experiência marcante convivendo com adolescentes infratores”.  

“Essa longa experiência de convivência com os salesianos me levou naturalmente a assimilar os valores desse carisma e a gostar da vida salesiana de forma que, a minha vocação salesiana, é fruto de um longo processo de convivência com os filhos de Dom Bosco. Meu desejo de ser salesiano surgiu espontaneamente através da amizade, das atividades educativas, das experiências pastorais, do estilo de vida atrativo”.

COMUNICAÇÃO DA NOMEAÇÃO

No dia 12 de junho passado, padre Antonio recebeu a notícia de que o Papa Francisco, anunciaria no final do mês, sua nomeação para ser Bispo Auxiliar de Belém:

“Eu estava em Quito (Equador) dando continuidade a um curso de Especialização em Salesianidade, quando pela manhã do dia dos namorados (12 de junho), na hora do café, me chamaram para atender a uma ligação de Brasília e que seria da Nunciatura Apostólica (a Embaixada do Vaticano no Brasil). Pensando que fosse brincadeira não fui atende-la!  Quinze minutos depois veio outra ligação! Atendi! A notícia foi impactante, perdi o chão; senti um forte misto de emoções como surpresa, medo, desconfiança; mas depois, com o discernimento e oração, veio a aceitação, a gratidão, a confiança em Deus… pois acredito que a partir do momento que Deus me chamou para o sacerdócio, apesar das minhas limitações, Ele me daria também os meios necessários para corresponder à missão a mim confiada… Assim tem acontecido e não será diferente para no futuro. Deus me chamou ao episcopado não porque mereço, mas, porque me ama e quer eu seja seu servidor dessa forma, como líder, pastora do seu povo. Portanto é um dom e uma responsabilidade!”

SERVIÇOS DESENVOLVIDOS

Padre Antônio de Assis Ribeiro trabalhou por cinco anos (2000 – 2005) nas obras Salesianas no Pará onde foi diretor da Escola Salesiana do Trabalho – EST, em Belém; nesse mesmo período também trabalhou como professor de Teologia Moral no Centro de Formação Presbiteral da Arquidiocese de Belém atuando no curso de teologia; em 2003 fundou o Centro Associação Damas Salesianas em Ananindeua (PA) – Uma ONG voltada para a promoção do voluntariado feminino com o espírito salesiano; de 2004-2005 foi conselheiro nacional da Associação Damas Salesianas, instituição internacional de fieis leigas com promessa pública de voluntariado social, um dos grupos da Família Salesiana; de 2002-2004 foi membro do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA/PA, e em 2005 assumiu o cargo de Conselheiro Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da capital paraense (Belém – PA), de onde saiu para assumir a direção da Missão Salesiana de Yauaretê, uma área indígena no Alto Rio Uaupés, Amazonas.

DESAFIOS A SEREM ENFRENTADOS:

Questionado sobre os desafios que irá encontrar como Bispo Auxiliar em Belém, Padre Antônio enumerou três:

 “Toda novidade, toda mudança, gera desafios a serem enfrentados, para mim, inicialmente vejo três. O primeiro desafio é aprender a ser bispo tomando consciência dessa nova missão; o segundo é tomar conhecimento, passo a passo, da nova realidade na qual eu devo trabalhar, isso significa acolher e estabelecer uma relação de amizade com o clero da arquidiocese, os religiosos (as), as instituições católicas, o estilo de Igreja e seu dinamismo pastoral; o terceiro  penso que seja aquele de inserção na vida do povo, percebendo seus valores, suas carências, seus desafios na vida de fé. Acredito que os cinco anos de trabalhos em Belém de 2000-2005, me ajudarão a me inserir nesse novo contexto eclesial com mais facilidade”.

BISPO SALESIANO DA AMAZÔNIA

Padre Antônio de Assis Ribeiro é o primeiro bispo salesiano da Amazônia, nativo da região, é paraense. O quarto filho de Dom Bosco atuante na Amazônia na condição de bispo. O futuro bispo se juntará a outros salesianos que trabalham nesta região como o Dom Bruno Pedron, bispo de Ji-Paraná; Dom Flávio Giovenale, bispo de Santarém; Dom  Edmilson Tadeu Canavarros, bispo auxiliar de Manaus; Dom Walter Ivan de Azevedo, bispo emérito de São Gabriel da Cachoeira; Dom Antonio Possamai bispo emérito de Ji-Paraná.

 SENSIBILIDADE JUVENIL

Seguindo o foco principal da Congregação Salesiana que é o cuidado e atenção ao jovem, em especial aos mais necessitados, Padre Antônio pretende, dentro de sua futura missão como bispo auxiliar, continuar tendo um olhar diferenciado para com os jovens e a Família Salesiana:

“Eu sempre serei salesiano de Dom Bosco; a espiritualidade salesiana faz parte da minha vida, da minha sensibilidade e mentalidade, isso é um dom para a Igreja; vou levar a salesianidade onde eu for. Um carinho especial pela juventude faz parte do carisma salesiano. Talvez sentirei falta da vida comunitária salesiana, mas certamente vou encontrar outros irmãos com os quais vou conviver, os bispos”.

MENSAGENS PARA OS JOVENS:

“Que sempre se lembrem que a vida é o mais precioso dom que recebemos de Deus; que para ser bem vivida é preciso cultivar responsabilidade, pois a vida é dom (presente) mas também é responsabilidade, nada está pronto; que para se viver responsavelmente e sermos felizes temos que ter um projeto de vida no qual apostar a vida, e é preciso não ter medo de se tomar decisões; O mais profundo sentido da vida vem da fé, se a vida vem de Deus, ela se torna vazia sem Ele, portanto, cuidem da fé, a vida espiritual nos leva a viver com dignidade fazendo o bem; enfim, procurem se engajar na vida da Igreja; não basta ter fé, é preciso a vida comunitária, o engajamento… é bonito encontrar jovens que testemunham a própria vida de fé sem medo e com alegria, evangelizando outros jovens”, finalizou emocionado”.

TRAÇOS BIOGRÁFICOS:

UMA VIDA DEDICADA A MISSÃO SALESIANA

Aos 14 anos entrou, como aspirante, no Centro Vocacional Salesiano em Ananindeua, região metropolitana de Belém, onde passou cinco anos, até o segundo ano do ensino médio.

Em 1985 iniciou a primeira fase da formação específica para a vida religiosa salesiana em Manaus, ingressando no pré-noviciado, coincidindo com o terceiro ano do ensino médio como aluno do Colégio Dom Bosco;

Em 1986 fez o noviciado Salesiano na cidade de São Carlos (SP) emitindo a profissão religiosa no dia 10/01/87;

De 1987-1989 cursou a licenciatura em filosofia no Centro de Estudos do Comportamento Humano (CENESCH) da arquidiocese de Manaus; anos depois seu título acadêmico foi revalidado pela Universidade Católica de Brasília;

De 1990 até agosto de 1991, fez seu tirocínio pedagógico-pastoral como formador no noviciado em Candeias do Jamari (RO), no aspirantado e pré-noviciado em Manaus;

De 1991-1994: cursou a Teologia na Universidade Pontifícia Salesiana em Roma (Itália), sendo ordenado diácono no dia 25/06/1994. Após a ordenação diaconal retornou ao Brasil para a experiência do diaconato trabalhando na formação entre os estudantes de filosofia (o pós-noviciado) em Manaus.

No dia 17/06/1995 foi ordenado sacerdote por Dom Miguel Maria Giambelli bispo da Diocese de Bragança, na Cidade de Ourém (PA) e continuou contribuindo na formação salesiana em Manaus;

Em 1996 foi nomeado encarregado do Centro Vocacional Salesiano João Paulo II de Manaus, sendo formador dos aspirantes e pré-noviços;

De 1997-1999 cursou o mestrado em teologia moral na Accademia Alfonsiana/Universidade Lateranense em Roma (Itália);

Após o processo de formação acadêmica o P. Antônio Ribeiro assumiu diversas responsabilidades dentro e fora da Inspetoria Salesiana Missionária da Amazônia, a saber:

–   2000-2005: foi diretor da Escola Salesiana do Trabalho em Belém; nesse mesmo período também trabalhou como professor de Teologia Moral no Centro de Formação Presbiteral da Arquidiocese de Belém atuando no curso de teologia;

–   2003: fundou o Centro Associação Damas Salesianas em Ananindeua (PA) – ONG voltada para a promoção do voluntariado feminino com o espírito salesiano;

–   De 2004-2005: foi conselheiro nacional da Associação Damas Salesianas, instituição internacional de fieis leigas com promessa pública de voluntariado social, um dos grupos da Família Salesiana;

–   De 2002-2004: foi membro do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA/PA;

–   2005: assumiu o cargo de Conselheiro Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente da capital paraense (Belém – PA);

–   2006: foi diretor da Missão Salesiana de Yauaretê (Amazonas – área indígena) e pároco da Paróquia São Miguel Arcanjo na Diocese de São Gabriel da Cachoeira (Am);

–   2007-2008: foi diretor do Colégio Dom Bosco e Pároco da Paróquia Dom Bosco, centro de Manaus (Am);

–   De 2009-2013: foi diretor do Centro Juvenil Salesiano e pároco da Paróquia Nossa Senhora das Dores em Manicoré, na Diocese de Humaitá no Sul do estado do Amazonas;

–   2014: de fevereiro a abril, participou em Roma do XXVII Capítulo Geral da Congregação Salesiana sendo enviado como delegado inspetorial;

–   De 2014-2017: foi coordenador da Comissão Nacional da Pastoral Juvenil Salesiana e assessor do Conselho Nacional da Articulação da Juventude Salesiana (AJS);

–   2015: foi membro do CAD – Conselho Administrativo Nacional da Rede Salesiana Brasil com sede em Brasília e atuou como professor de Ética profissional no curso de pós-graduação da Faculdade Salesiana Dom Bosco em Manaus (FSDB);

–   2016-2017: membro do Conselho Editorial da Revista de Pastoral da ANEC – Associação Nacional de Educação Católica do Brasil;

–   2017: membro do Comitê REPAM (Rede Pan-Amazônica) do regional CNBB Norte I;

–   De 2013-2017: assumiu o serviço como vice-inspetor da Inspetoria São Domingos Sávio; simultaneamente era também delegado inspetorial para a Pastoral Juvenil Salesiana e Vocacional; encarregado da promoção do voluntariado Juvenil Inspetorial e diretor-sócio da Faculdade Salesiana de Dom Bosco (FSDB) em Manaus. Foi conselheiro provincial por três mandatos, somando 9 anos de serviço inspetorial.

Compartilhe:
Redes Sociais

Your Commment

Email (will not be published)