01

CONCLUSÃO DO XVII CONGRESSO EUCARÍSTICO NACIONAL

by / 0 Comments / 112 View / 22 de agosto de 2016

HOMILIA DO CARDEAL: MISSÃO: “FAÇAM O QUE ELE MANDAR!” (Jo 2,5)

Por Pe Antônio Ribeiro (pe Bira) –

Encerrou-se, às 21h horas, de ontem (21), em Belém do Pará, o XVII Congresso Eucarístico Nacional. Antes da bênção do Santíssimo e do show pirotécnico, aconteceu a missa na praça do Santuário Nossa Sra. De Nazaré seguida da longa e animada procissão até a Catedral.

Ao longo do percurso, feito por dezenas de milhares de pessoas, centenas de bispos e sacerdotes, a procissão foi animada com orações, reflexões, gritos, aplausos, músicas! Uma linda manifestação da vivacidade da Igreja Católica e do seu amor à Santíssima Eucaristia, Jesus Cristo pão Sagrado!

Em sua homilia, o Cardeal Dom Cláudio Hummes representante do Papa Francisco, continuou dando a mesma ênfase sobre o tema misericórdia e missionariedade tão presentes nas palavras do Papa Francisco. Resumidamente, vejamos algumas ideias de sua homilia:

1. Ao encerrar este Congresso, brota em nossos corações, um forte sentimento de gratidão a Deus e a todos aqueles, bispos, sacerdotes, diáconos e leigos, amigos e parceiros que trabalharam com alegria e generosidade pela sua realização.

2. O encerramento deste Congresso Eucarístico coincide com a celebração da Solenidade da Assunção de Nossa Senhora. Esse mistério, de Maria elevada ao Céu, nos recorda que Ela já ressuscitou dos mortos, e goza da sua plena realização em Cristo. Para nós, que caminhamos neste mundo, essa verdade de fé é sinal de esperança e um forte estímulo.
3. A primeira leitura bíblica de hoje fala de uma mulher revestida de sol, que está grávida, é perseguida, mas dá à luz seu filho (cf. Ap 11,19;12,1-10. Também a Igreja é perseguida neste mundo, mas nunca será vencida por seus opositores; essa é uma certeza vindas das palavras de Jesus (cf. Mt 16,19); o poder do inferno não vence a Igreja, porque ela está revestida de sol, é de origem divina, o seu Senhor é o próprio Deus, seu fundador.
4. E assim, vestida de sol, animada por Deus e em comunhão com Ele, é que a Igreja luta pela vitória da Justiça e da Paz. Essa é a missão da Igreja neste mundo…Assim foi a vida de Maria também. Essa luta nos fala de missão!
5. O Congresso Eucarístico foi uma oportunidade que tivemos para aquecer o nosso coração missionário. É preciso não deixar se apagar o fogo missionário; esse fogo deve arder em todos, em todas as vocações! O papa Francisco insiste pedindo a renovação do nosso ardor missionário. Os pastores não podem ficar sentados; o fogo do Espírito de Pentecostes deve continuar vivo em nós hoje.
6. Diz o papa Francisco que atualmente o maior desafio da Igreja é a sua atividade missionária; esse é o máximo desafio para a Igreja. Por quê? Porque o mundo de hoje nos apresenta muitos problemas, e se não estivermos cheios do fogo do Espírito Santo corremos o perigo do cansaço.
7. A missionariedade deve estar presente em todas as escolhas da Igreja, em todas as suas decisões. O papa Francisco nos pede para passar de uma pastoral de pura manutenção para uma ação pastoral dinâmica e missionária.
8. Enfim, não esqueçamos a Amazônia como terra de missão! Quantos desafios temos nesta região maravilhosa, como, o cuidado com as florestas, as urgências da causa indígena (terra, cultura, dignidade, saúde…), a pobreza, o crescimento das cidades, a biodiversidade ameaçada…
9. O papa afirma que, em meio a tantos desafios, é preciso arriscar, ser corajoso, buscar novos caminhos de evangelização. Para enfrentarmos desafios precisamos de uma Igreja em saída, aberta, dinâmica. A forma como podemos dar autenticidade para a nossa pregação é testemunhando a prática da misericórdia: indo ao encontro dos mais necessitados, esquecidos, infelizes, marginalizados… É isso que Jesus pede hoje da Igreja… Maria nos educa e nos diz ainda hoje, como disse aos serventes em Caná da Galiléia: “FAÇAM O QUE ELE MANDAR!” (Jo 2,5)

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11

 

 

 

Compartilhe:
Redes Sociais

Your Commment

Email (will not be published)